IMG 20180208 WA0306

15 anos de Siri na Lata: luta ao som do frevo no Bloco de Carnaval da CUT

IMG 20180208 WA0306Um burro puxando uma carroça já desfilou no Carnaval pelas ruas do Centro de Aracaju. Com essa alegoria, o bloco de carnaval Siri na Lata denunciou as péssimas condições do transporte coletivo em Aracaju. Uma denúncia de 2015, que segue atual.

A decisão da Justiça de trazer Flávio Conceição de volta pro Tribunal de Contas também já foi alvo do Siri. A luta contra a privatização dos Correios, pela redução da jornada de trabalho de 44 horas para 40h semanais, a Reforma Trabalhista, a Reforma da Previdência, a denuncia do golpe de 2016, a morte da democracia no triste e recente episódio nacional que colocou Temer na presidência do Brasil. Tudo isso já fez parte do bloco de carnaval da Central Única dos Trabalhadores (CUT Sergipe) que está prestes a completar 15 anos de história.

Nascido no dia 22 de fevereiro de 2007, idealizado por Antônio Góis (ex-presidente do Sindisan e também da CUT), o primeiro protesto carnavalesco organizado pela Central Única dos Trabalhadores tinha o nome de Bloco do Zoião. No ano seguinte, o bloco mudou de nome para Siri na Lata – o bloco de carnaval que há 15 anos anima comerciantes, foliões e cidadãos do Centro de Aracaju, sempre na sexta-feira de carnaval, também serve para lembrar à população que até no carnaval a central tá de olho aberto.

No ano de inauguração (2007), a denúncia do roubo de 123 toneladas de carne da merenda escolar; a luta contra a transposição do São Francisco; a luta contra os agrotóxicos, por mais amparo ao trabalhador vítima de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais foram algumas das pautas levadas pelas categorias para a avenida.

Confira a matéria completa no site da CUT/SE.

 20190301 0955241 copy

Share this post